terça-feira, 26 de outubro de 2010

MEU FILHO, MEU TUDO

Minha família acha que o fato de eu ter tido um filho foi um grande erro. Para eles, uma pessoa como eu, com a doença e as limitações que tenho, não deveria sonhar. Hoje, já nem me dou ao trabalho de responder qualquer dessas observações. Não vale a pena. O que importa é que meu filho é o meu bem mais precioso. Ele é meu orgulho, minha continuidade, meu tudo. Não me arrependo nem um pouco de ter enfrentado todo o mundo para tê-lo e quem quiser torcer o nariz para mim,  vai ficar com o nariz torcido porque eu não estou nem aí. Seguirei em frente, devagar e sempre. 

É muito triste quando as pessoas só conseguem ver o lado ruim das coisas. Para mim, meu filho foi o meu maior milagre, para muitas pessoas, ele é um peso. O engraçado é que não são os que me criticam, que colocam comida na minha mesa. Sustento minha casa e meu filho. Não é fácil, mas tenho conseguido. Mudei a minha vida para acompanhar o crescimento e formação dele, e nisso, tenho tido muito sucesso porque ele é um menino de ouro. Partilhar momentos com ele é uma dádiva, como quando fazemos bichinhos de massinha. Aos oito anos ele já começou seus ensaios na escrita. É mesmo o meu herdeiro.
Fizemos este desenho juntos na parede da cozinha. Nossas mãos juntas, um pacto. Nome de um dos três  poemas que falam dele no livro DEZ COISAS PARA FAZER, o qual não posso postar aqui para não inviabilizar a publicação do livro. Assim, estaremos eternamente, juntos, carne da minha carne, independente do que as pessoas pequenas achem. Sonhei ter um filho e realizei o meu sonho. É uma realidade, o resto, É RESTO. Tenho é pena daqueles que não conseguem sequer sonhar.


"Quem se diz muito perfeito,
Na certa encontrou um jeito,
Insosso,
Pra não ser de carne e osso,
Carne e osso."

Zélia Duncan

Nenhum comentário: