domingo, 27 de setembro de 2015

Jamais busquei você

Sem o meu Deus eu não seria nada.

Queria muitas coisas,
Me preocupava com o ter.
Não te conhecia,
Jamais busquei você.
Andava sempre ocupado
Querendo enriquecer,
Exibir minhas conquistas.
Nunca busquei você.
Minhas posses aumentavam.
Uma família criei.
Virei cidadão respeitável
Mas você jamais busquei.
O ter foi sempre importante.
Ignorava o Ser.
Tinha orgulho do meu império.
E nunca busquei você.
Ouvia muitos falarem
Do que os inundava o ser.
Achava tudo bobagem.
Pra quê buscar você?
No meu mundo muito sólido
Tudo começou a ruir.
E o sofrimento eu descobri.
Me negava a buscar você.
E quando perdi tudo o que tinha,
Incluindo o orgulho.
Vi que sabia chorar,
Que podia buscar você.
E ao me pôr de joelhos
Sem nada mais ter,
Descobri quem era o Ser,
Dentro de mim, meu Deus,
Eu encontrei você.

Parte integrante do livro ARCO-ÍRIS SOBRE CINZA
Biblioteca Nacional 463.856 Livro 873 Folha 77

Nenhum comentário: