sábado, 19 de setembro de 2015

NA CASAMATA DA TUA MANSÃO


Teu carro é possante,
Sua casa é bem legal.
Você finge que ignora
Que existe um mundo marginal.

Que você, cidadão ilustre
Dessa sociedade desigual,
Fez questão de colocar à margem
Mas ele tá invadindo o teu quintal.

A sua ilha tá afundando.
O mar de miséria crescendo.
No meio do fogo cruzado
É você quem tá morrendo.

Na casamata da sua mansão,
Nas barricadas do condomínio,
Até quando vai impedir a queda
Do seu poder em declínio?

Invista em um belo cenário
Cheio de luxo e riqueza.
Construa seu império
Sobre o aterro da pobreza.

Não finja que o problema não é seu
A bomba está prestes a explodir.
A guerra já começou
O que vai fazer pra impedir?

Acorde do seu sonho alienado.
O inimigo está na rua.
E o alvo é quem o criou
Assuma a culpa que é sua.

Parte integrante do livro ARCO-ÍRIS SOBRE CINZA
Biblioteca Nacional 463.856 Livro 873 Folha 77

Nenhum comentário: