segunda-feira, 21 de setembro de 2015

SERES MALVADOS

Para Larissa.

Lágrimas na Terra,
A vida chora de tristeza.
Mais um anjinho se foi
Na escuridão da incerteza.
A morte a tomou nos braços.
Apenas dor nos deixou.
Lembrando dos risos, abraços,
Da alegria que findou.
Um anjo como era
Assim continuará.
Viverá em uma nova Era,
E pelos seus olhará.
Coberta de luz,
Serena, vai embora.
Sabe que o Pai a conduz
Verdadeiro anjo tornou-se agora.
É só mais uma criança,
Que a maldade do mundo levou.
Às que ficam, esperança,
Porém nada mudou.
Maltratamos nossos anjinhos
Deixando que sejam levados.
Obscurecendo nossos caminhos,
Tornando-nos seres malvados.

Parte integrante do livro PALAVRAS AO VENTO
Biblioteca Nacional 461.076 Livro 867 Folha 274

Nenhum comentário: