sábado, 3 de outubro de 2015

Banquete


Coloquei meu coração em uma bandeja
E dei a você
De presente.
E ele nunca bateu tão forte.
Jamais falou tão alto.
Em momento algum
Foi tão puro.
Se recusa o meu banquete
É porque não sabe amar.
Mesmo assim não me arrependo.
Vou continuar te amando,
Ouvindo as vozes do meu coração,
Enquanto você escuta o seu orgulho.
Brindo a isso.
Provei da bebida mais doce,
Enquanto você continua bebendo
Na taça do seu fel.

Parte integrante do livro ARCO-ÍRIS SOBRE CINZA
Biblioteca Nacional 463.856 Livro 873 Folha 77

Nenhum comentário: